5.17.2018

Consumo Consciente - Sabe Como É Feita a Sua Roupa?

Termos como Fashion Revolution, Transparency e Consumo Consciente inundaram as redes sociais no final de Abril, mas a maioria das pessoas não faz ideia do seu significado. O que é afinal a Fash Rev?

Consciente

No ano passado abordei o tema neste post, e queria ter-vos falado mais cedo da Fashion Revolution mas também acho que mais vale tarde do que nunca.

O movimento #whomademyclothes teve inicio em 2013, e foi marcado pelo colapso de um edifício degradado em Rana Plaza no Bangladesh. Este albergava 5 fábricas de roupa no seu interior, e apesar dos avisos quanto á falta de segurança o incidente teve como consequência a morte de 1134 trabalhadores da industria têxtil e mais de 2500 feridos.

Só o negócio da Moda emprega nos dias de hoje qualquer coisa como 75 milhões de pessoas pelo mundo fora, mas 90% desses indivíduos trabalham em condições precárias em troca de salários desumanos. Em contrapartida, a lista das 20 maiores fortunas a nível mundial segundo a Forbes, inclui os nomes de 6 bilionários do Retalho.


Consciente


Sem falar em termos de Impacto Ambiental, Desperdício e Acumulação de Resíduos, assunto que "dá pano para mangas" e muitos outros posts.

A Fash Rev está a tentar modificar esta situação, exigindo uma maior transparência por parte das marcas em relação aos seus fornecedores. Mais transparência equivale a mais responsabilização por parte de todos nós, que também como consumidores contribuímos para alimentar o comboio da fast fashion.

Consciente

A pergunta que se coloca para além de "quem fez as minhas roupas" é o que nós como consumidores podemos fazer para ajudar esta causa?

- Começar por assinar o Manifesto proposto pela Fashion Revolution aqui (eu já assinei!)

- Fazer chegar estas informações á Família, Amigos e Conhecidos até chegar aos CEO das Marcas e da Industria Têxtil;

- Estar atentos ás etiquetas, e conhecer a proveniência das peças antes de comprar;

- Criar hábitos de consumo mais sustentáveis, comprando melhor e com consciência , reciclando e evitando o desperdício inconsequente.

Deixo-vos este desafio para reflectirem, pois são muitos pequenos gestos que fazem a diferença.
Cá por casa também andamos em "campanha de consumo consciente", e fico extra feliz quando encontro produtos #madeinportugal. Já tinham ouvido falar do movimento Fash Rev?

5.14.2018

Classics Are Never Boring (My Style)

Como Consultora de Imagem, aconselho um guarda-roupa essencial constituído por  80% de peças básicas. Clássicos que são tudo menos enfadonhos" é o que vos mostro no look de hoje.

Classics

Classics

As imagens estão num formato diferente , um desafio proposto pelo fotografo Pedro Cardita que adaptou esta história para a versão Polaroid. Eu pessoalmente gosto imenso do resultado. O que acham deste tipo de fotografia?

Classics

               Classics

Mas voltando ao tema dos básicos, escolhi um top tipo seda (que neste caso é uma combinação de vários estampados nos mesmos tons de bege e preto), uns jeans direitos de cintura subida, um cinto de pele preto, uns pumps nude e uns óculos de sol pretos.Tudo peças essenciais mas elegantes, ás quais damos uso praticamente o ano inteiro. 

Classics

Classics

E se é verdade que os básicos se podem tornar aborrecidos, só depende de nós torná-los mais interessantes
Uma tela em branco onde podemos acrescentar um acessório diferente (uma pulseira neste caso, mas poderiam ser uns brincos ou um colar), ousar no penteado ou introduzir um pouco de cor com a maquilhagem

Classics

Classics

Classics
all photos Pedro Cardita

Espero que tenham gostado do look clássico e das dicas de styling. Digam-me lá, quais destes "básicos" já fazem parte do vosso armário?


SHOP THE LOOK: